Skip to content

Qual nível de ambição necessitamos para frear as mudanças climáticas?

9 de dezembro de 2015

Há vários anos a Climate Action Network (CAN) distribui um anti-prêmio a atores que contribuem negativamente nas negociações climáticas: o Fossil of The Day. Alguns países já foram “agraciados” por travarem as discussões de um acordo global, organizações já o receberam por fazerem campanha em favor de combustíveis fósseis, enquanto outras foram eleitas por apresentar propostas menos ambiciosas do que era necessário para frear as mudanças climáticas.

Esporadicamente, o anti-prêmio passa a ser de fato um prêmio real e é entregue a atores que colaboram com compromissos realmente relevantes para o avanço das discussões na COP. E foi o que aconteceu na primeira semana da conferência de Paris. As nações do Climate Vulnerable Forum receberam o Ray of The Day (apenas a 2ª vez que este foi entregue), por anunciarem seu compromisso com uma transição para 100% de energia renovável até 2050.

Apesar de neste grupo não haver países entre os maiores emissores globais de GEE, a posição do CVF dialoga com um movimento que tem ganhado expressão nos últimos anos: o “desinvestimento” (divest, em inglês) em ativos relacionados a combustíveis fósseis.

Nesta COP já foram anunciadas duas grandes iniciativas demonstrando a intenção de investidores de migrar seu capital para ativos não relacionados aos combustíveis fósseis: segundo levantamento da 350.org e da Divest Invest, mais de 500 instituições – representando U$3,4 trilhões em ativos – já anunciaram algum tipo de compromisso para o desinvestimento em ativos fósseis; paralelamente foi lançada por um grupo de investidores, capitaneados por Al Gore, a Breakthrough Energy Coalition com o objetivo de acelerar a inovação relacionada a energias limpas.

Esses movimentos demonstram quais tipos de ação são esperadas para as discussões sobre mudanças do clima, além de nos levar à seguinte reflexão: que nível de ambição necessitamos do restante das partes para evitar o aumento da temperatura global a níveis indesejados?

Até o final da conferência espera-se ver multiplicado esse posicionamento nos anúncios de compromissos de outros países.

George Magalhães (GVces)

Comentários

There are no comments on this entry.

Comentar

Parceiros

Twitter Facebook Facebook Twitter Twitter Facebook Facebook Twitter

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para se inscrever a nossa newsletter.